Islândia - dia 6 - 25 / junho / 2018

Um dia de muito, muito, muito vento!

Quando alugamos o carro em Reykjavik a mocinha da locadora insistiu muito que era necessário ter cuidado ao abrir as portas do carro em dias de vento... nunca pensei que podia ser algo tão relevante!

Pela primeira vez na vida, tive pena de não pesar uns 15 kgs a mais... várias vezes durante o dia tive medo de sair voando!

Dettifoss

Detifoss é uma catarata situada no parque nacional de Jökulsárgljúfur, no rio Jökulsá á Fjöllum, que flui do glaciar Vatnajökull.

 

Ah vá! Super fácil lembrar esse nomes todos né?

 

É conhecida por ser uma das maiores quedas de água da Europa, com um caudal estimado entre os 200 e os 500 m3/s, dependendo da estação do ano e do degelo do Verão. A Dettifoss tem 100 m de largura com uma queda vertical de 48 m até ao desfiladeiro de Jökulsárgljúfur. Faz um barulho imenso!

Além do poder incrível da água, a surpresa de ser uma região com uma paisagem exótica, completamente árida.

Kafla

Kafla é o nome de um pequeno vulcão, uma montanha com pouco mais de 800m de altura, que hoje tem um lago verde esmeralda na cratera, mas acabou emprestando seu nome para toda essa região vulcânica do nordeste do país, assim como para a usina termoelétrica que foi instalada na proximidade.

Entre 1724 e 1729, durante o que ficou conhecido como Mývatn Fires, muitas fissuras e buracos de ventilação apareceram nessa região. Entre 1975 e 1984, outro evento similar, conhecido como Krafla Fires gerou movimentos de magma e erupções que ocorreram com frequência durante 9 anos. Desde então, não houve mais eventos do tipo na região, mas o vulcão é considerado ativo.

Era tanto, tanto, mais tanto vento, que eu tava com medo de cair na cratera!

Grjótagjá

 

A caverna é abastecida por águas termais. Antigamente era possível (e permitido) nadar na caverna, mas depois das atividades vulcânicas que aconteceram de 1975 a 1984, a temperatura da água subiu para 43o C, tornando arriscada a permanência humana. A temperatura da água vem caindo desde então, mas agora é tanto turista, que seria complicado controlar o fluxo de pessoas em uma caverna tão pequena.

A cor da água é absolutamente impressionante.

Dimmuborgir lava fields

Nesse a gente nem desceu! rs...

 

Tava frio... fedia demais... como se todo mundo tivesse resolvido cozinhar um ovo na mesma hora!

Ficamos no carro comendo um sanduíche e observando esse campo estranho, de onde brota fumaça...

No folclore islandês, Dimmuborgir é tido como o lugar que conecta a terra ao inferno. No folclore cristão nórdico se diz que esse é o local onde Satanás pousou quando foi lançado dos céus.

A gente achou que era um bom lugar pra almoçar... rs

Lake Myvatn

 

O lago é o centro dessa região turística do nordeste. ele é pontilhado de pequenas ilhas e, olhando de fora, nem parece exatamente um lago.

Nosso hotel era bem de frente para a água, mas foram tantas atrações nesse dia que chagamos tarde e cansados e acabamos nem animando de ir dar uma volta para conhecer o lado em si.

  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon

Andrea Goldschmidt Fotografia

Todos os direitos reservados

Tel: +55 (011) 9-8371-5983

São Paulo - Brasil